Você sabe a diferença entre obra e fonograma?

Vamos explicar aqui uma das maiores dúvidas do mercado da música, em especial o da música eletrônica, que é a diferença entre obra e fonograma.

Obra e Fonograma, embora sejam diferentes, ainda geram dúvidas na hora de fazer o cadastro.

Obra é considerada qualquer composição musical que contenha letra e melodia, ou apenas a melodia. Uma única obra pode ser interpretada de várias formas, em diferentes versões como ao vivo, acústica, em estúdio e por diferentes artistas.

Já o fonograma é a música gravada, fixando a obra em um arquivo .wav, .mp3 ou em alguma mídia fisica como CD, vinyl etc. É a música que escutamos tanto na mídia física, nas rádios e também nas principais plataformas de música digital, como Spotify, Deezer, Apple Music, YouTube e todas as outras existentes no mercado.

Exemplo, quantas versões diferentes você já ouviu do clássico hit “Show Me Love”, escrito por Allan George e Fred McFarlane e interpretado pela cantora Robin S? “Show Me Love” é um dos clássicos da dance music que provavelmente mais tem versões por aí, seja na regravação da versão original ou em remixes. E falando de outros gêneros, assim como essa música, quantas versões não conhecemos de “Garota de Ipanema” de Tom Jobim, por exemplo.

Se uma mesma obra for gravada várias vezes, para cada gravação é necessário fazer o cadastro de um novo fonograma, pois se tratam de gravações diferentes.  Mas a obra é cadastrada apenas uma vez, pois a letra e a melodia permanecerão sempre as mesmas.

Para cadastrar uma obra, existem duas formas. A primeira, através da declaração de repertório, quando o próprio autor das obras faz o cadastro, gerando o código ISWC (International Standard Musical Work Code). A segunda forma, é através de alguma editora musical, se o autor tiver uma administrando suas obras. Já para cadastrar um fonograma, esse é feito pelo produtor fonográfico, ou dono do fonograma, que é a pessoa física ou jurídica responsável pela gravação e que arcou com os custos da produção.

O produtor fonográfico, em muitos casos, é o próprio artista ou a gravadora que está lançando o fonograma. O produtor fonográfico cadastra então o fonograma, gerando o código ISRC (International Standard Recordin Code), que identifica as gravações e que inclui todas as informações da música, como intérpretes, músicos envolvidos, gênero, tempo e outros detalhes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: